James Ensor, belga, pintor e gravurista.

James Ensor, belga, pintor e gravurista.

Belga, pintor e gravurista James Ensor chega para nossa #referênciadasemana.

Foi um dos primeiros representantes da pintura expressionista. Frequentou a Academia de Bruxelas, onde conheceu os pintores Willy Finch, Fernand Khnopff e Guillaume Vogels.

Suas obras sempre mostraram multidões e máscaras, as quais utilizou para representar críticas à sociedade.

Ensor fez um pequeno estúdio no sótão da casa de seus pais onde pintava retratos realistas e paisagens inspiradas pelos impressionistas. Algumas dessas obras são: “O Rapaz dos candeeiros” e “A Rue de Flandre sob a neve”.

Algumas características que mais marcaram seu estilo artístico foi o fato de suas obras sempre mostrarem multidões e máscaras, as quais utilizou para representar críticas à sociedade. Seus quadros eram considerados estranhos por muitos críticos, pois, para eles, os quadros apresentavam “muita informação”.

Utilizava constantemente em seus trabalhos cores ardentes para representar cortejos fantasmagóricos, multidões sem características individuais, percorrendo paisagens indefinidas como se fossem sonâmbulos.

São destaques em seu trabalho: “Cozinheiros Perigosos”, “Entrada de Cristo em Bruxelas”, “Convívio pesadelo e carnaval”.

Sem Comentários

Postar Comentário